Os 14 animais mais mortais do mundo

Tempo de leitura: 6 min

Escrito por eriveltoncgui
em 24 de agosto de 2021

O mundo é lar de milhões de espécies animais
de todos os tipos. Como é de se esperar, alguns são mais perigosos
para os seres humanos do que outros, mas você pode se surpreender com alguns dos animais

que compõem esse ranking, que é a prova de que o tamanho não importa muito. Essa lista será baseada em uma média histórica
da quantidade de vítimas fatais que esses animais causam aos humanos. Eu sou William Tofoli, narrador do Mistérios
do Mundo, e aqui estão os 14 animais mais perigosos e mortais do planeta. Se você gostar do vídeo, não se esqueça
de deixar o like, se inscrever no canal Mistérios do Mundo e ativar as notificações. Tubarões Se você perguntar quais são os animais mais

perigosos a qualquer pessoa, provavelmente os tubarões estarão entre os primeiros lugares. Mas na verdade, esses grandes animais marinhos

tem mais motivos para temer os humanos do que o contrário. Ataques de tubarão são raros e, em média,
vitimam apenas 6 pessoas por ano em todo o mundo. Lobos Historicamente considerado um animal maligno
e ligado a diversas lendas, ataques de lobo às pessoas não são comuns, mesmo nas regiões
onde esses antigos ancestrais dos cães costumam viver. Apesar de atacarem rebanhos de ovelhas, por

exemplo, esses animais temem e tendem a evitar a presença humana, só partindo para cima
quando se sentem muito ameaçados. Em média, 10 pessoas são vítimas de ataques
de lobo por ano em todo o mundo. Leões Não é a toa que são chamados de os reis
da selva. Caçadores oportunistas, os leões gostam

de atacar outros animais. Eles caçam em bando. Enquanto as fêmeas têm as funções de conseguir
a refeição e atender à prole, os machos são incumbidos de proteger o grupo. Há cerca de 2 mil anos, os felinos habitavam
a Europa, África e Ásia. Os leões europeus sumiram com a presença
humana, e hoje estão limitados a populações espalhadas principalmente pela África e Ásia. Mesmo sendo tão destemidos, os leões atacam
pouco os humanos, até porque raramente dividem o mesmo ambiente. Em média, vitimam 22 pessoas por ano. Elefantes É surpreendente saber que elefantes sejam
muito mais mortais para os humanos que os leões, mas ataques desses animais são relativamente
comuns em países como a Índia e Bangladesh, à medida que seres humanos invadem o habitat
deles. A maioria dos ataques a pessoas acontece nos

chamados corredores de elefantes, rotas que durante séculos foram utilizadas por estes
animais e que hoje têm a presença de humanos. Em média, os elefantes provocam 500 óbitos
anualmente. Hipopótamos Durante muito tempo, o hipopótamo foi considerado
o animal mais mortal da África. Apesar de herbívoros, são conhecidos por

serem agressivos com os seres humanos, incluindo tombando barcos. Eles são extremamente territoriais e estão
sempre prontos para o combate. Quando um hipopótamo abre sua imensa boca,
forma um ângulo de 180 graus e os dois dentes caninos inferiores são de dar medo. Cada dente afiado chega a medir 50 centímetros! Em média, também vitimam 500 pessoas por
ano. Tênias A teníase e a cisticercose são causadas

pelo mesmo parasita, só que em fases distintas de vida. A cisticercose, mais grave, é causada pela
forma jovem da tênia, e pode levar ao óbito. Geralmente, a cisticercose é adquirida pela
ingestão de alimentos ou água contaminada por ovos de tênia. É mais comum na Ásia, África e América
Latina. Em média, o parasita provoca 700 vítimas
fatais por ano. Crocodilos Hoje, o crocodilo é considerado o grande

animal responsável por vítimas fatais na África. Com sua enorme boca e dentes afiados, ele
consegue se mover pelas águas sem ser percebido, sendo um exímio caçador. De todos os crocodilos, o mais ameaçador
é o do nilo, podendo chegar a 6 metros, e está no topo da cadeia alimentar, comendo
de tudo: peixes, mamíferos, aves, répteis e até humanos que se metem em seu caminho. Embora seja difícil precisar, estimativas
sugerem que esses animais vitimem cerca de mil pessoas por ano. Lombrigas Conhecido popularmente como lombriga’, o
ascaris é o maior nematoide que infecta o trato intestinal humano e o mais comum no
mundo. As pessoas se contaminam ao ingerir ovos do

parasita, geralmente encontrados no solo, água, alimentos e mãos que tiveram um contato
anterior com fezes contaminadas. É mais comum em regiões tropicais e subtropicais,
e em áreas com saneamento básico inadequado. Vitima em média 4500 pessoas por ano. Mosca tsé-tsé A mosca tsé-tsé transmite a chamada doença

do sono, uma infecção parasitária de difícil tratamento que inicialmente pode levar a dores
de cabeça, febre, dor nas articulações e coceira, mas depois pode levar a alguns
problemas neurológicos graves, como alterações de personalidade, confusão mental e má coordenação. Apesar da doença estar diminuindo a cada

ano, o pequeno inseto ainda vitima 10 mil pessoas, a maioria na África subsariana. Caramujos de água doce O caramujo de água doce transporta vermes
parasitas que contaminam as águas e infectam as pessoas que entram em contato com essa
água com uma doença chamada esquistossomose, popularmente chamada de barriga d’água. Alguns hábitos, como nadar, tomar banho ou

simplesmente lavar roupas e objetos na água infectada favorecem a transmissão. A esquistossomose está relacionada ao saneamento
precário. Milhões de pessoas contraem a infecção,
e a OMS estima que entre 20 e 200 mil óbitos podem ser atribuídos à esquistossomose. Cachorros Até mesmo o melhor amigo do homem pode vitimar

as pessoas, mas não através de ataques diretos. Estima-se que 35 mil pessoas morrem por ano
através da raiva, contraindo principalmente de cães contaminados. A doença é transmitida pela mordida do animal,
e afeta principalmente crianças. A lavagem imediata e completa da ferida com

água e sabão após o contato com um animal raivoso é crucial e pode salvar vidas. Já existe há muito tempo vacina para a doença,
mas nem todos os animais tem acesso. Serpentes Um dos animais mais temidos pelos humanos,
a serpente justifica tanto pavor. De cegueira, amputações e até óbitos,

centenas de milhares de pessoas ficam com incapacidade permanente após serem atacadas
por esses animais rastejantes. A maioria das picadas ocorre em áreas densamente
povoadas da África subsaariana, sul e sudeste da Ásia, onde humanos e cobras frequentemente
entram em contato. As populações rurais pobres estão em risco
particular, pois geralmente não têm acesso a antídotos ou a instalações médicas modernas. Humanos O ser humano é o segundo animal mais perigoso

do mundo. Isso faz de nós o nosso pior inimigo. Estimativas sugerem que, em média, 437 mil
mortes acontecem por ano em todo o planeta, sejam elas provocadas por homicídios, ações
militares ou mesmo acidentes provocados pelas próprias pessoas. Mas ao contrário do que muita gente pensa, Mosquitos Os mosquitos – insetos incômodos que sugam

sangue e transmitem vírus de pessoa para pessoa – são os principais responsáveis
por óbitos relacionados a animais. A malária, por si só, é responsável por
mais da metade das vítimas fatais relacionadas ao inseto, especialmente na África. A dengue, outra doença transmitida por mosquitos,

tornou-se uma das principais causas de hospitalização e vítimas fatais de crianças e idosos em
alguns países asiáticos e latino-americanos. O mosquito também transmite doenças como
febre amarela, zika e chikungunya. Qual desses animais mais surpreendeu por seu
poder mortal? Conte nos comentários. Até a próxima.

Poderá ver o vídeo no youtube Aqui

Você vai gostar também:

JUNTE-SE Á NOSSA LISTA DE SUBSCRITORES

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

Damos valor à sua privacidade

Nós e os nossos parceiros armazenamos ou acedemos a informações dos dispositivos, tais como cookies, e processamos dados pessoais, tais como identificadores exclusivos e informações padrão enviadas pelos dispositivos, para as finalidades descritas abaixo. Poderá clicar para consentir o processamento por nossa parte e pela parte dos nossos parceiros para tais finalidades. Em alternativa, poderá clicar para recusar o consentimento, ou aceder a informações mais pormenorizadas e alterar as suas preferências antes de dar consentimento. As suas preferências serão aplicadas apenas a este website.

Cookies estritamente necessários

Estes cookies são necessários para que o website funcione e não podem ser desligados nos nossos sistemas. Normalmente, eles só são configurados em resposta a ações levadas a cabo por si e que correspondem a uma solicitação de serviços, tais como definir as suas preferências de privacidade, iniciar sessão ou preencher formulários. Pode configurar o seu navegador para bloquear ou alertá-lo(a) sobre esses cookies, mas algumas partes do website não funcionarão. Estes cookies não armazenam qualquer informação pessoal identificável.

Cookies de desempenho

Estes cookies permitem-nos contar visitas e fontes de tráfego, para que possamos medir e melhorar o desempenho do nosso website. Eles ajudam-nos a saber quais são as páginas mais e menos populares e a ver como os visitantes se movimentam pelo website. Todas as informações recolhidas por estes cookies são agregadas e, por conseguinte, anónimas. Se não permitir estes cookies, não saberemos quando visitou o nosso site.

Cookies de funcionalidade

Estes cookies permitem que o site forneça uma funcionalidade e personalização melhoradas. Podem ser estabelecidos por nós ou por fornecedores externos cujos serviços adicionámos às nossas páginas. Se não permitir estes cookies algumas destas funcionalidades, ou mesmo todas, podem não atuar corretamente.

Cookies de publicidade

Estes cookies podem ser estabelecidos através do nosso site pelos nossos parceiros de publicidade. Podem ser usados por essas empresas para construir um perfil sobre os seus interesses e mostrar-lhe anúncios relevantes em outros websites. Eles não armazenam diretamente informações pessoais, mas são baseados na identificação exclusiva do seu navegador e dispositivo de internet. Se não permitir estes cookies, terá menos publicidade direcionada.

Visite as nossas páginas de Políticas de privacidade e Termos e condições.

Importante: Este site faz uso de cookies que podem conter informações de rastreamento sobre os visitantes para melhor apresentar os conteudos.